Arquivo | abril 2011

Stripper afirma o Dr. Murray Wanted sono Como MJ morreu


A stripper que recebeu um telefonema do Dr. Conrad Murray , poucas horas antes de Michael Jackson morreu disse aos detetives da LAPD doc “soava cansada e ele era como eu vou dormir um pouco que seja.”

0207_conrad_mj_Getty_TMZ_EX_02

A stripper, Michelle Bella, conheci o Dr. Murray no Spearmint Rhino cavalheiro o clube em Las Vegas em 2008. A história de como eles se conheceram é hilário, mas primeiro as coisas importantes.

 Bella disse aos detetives … em 25 de junho de 2009, o Dr. Murray deixou uma mensagem em seu telefone em cerca de 8h30. Segundo fontes com conhecimento direto do caso … Bella disse aos policiais Murray tinha mencionado Michael Jackson com ela antes e disse: “Eu quero dizer o seu programa era, obviamente, você sabe – eu sei que ele era como se todas as horas por causa de seu trabalho assim, quando – então, quando ele chamou, você sabe , ele parecia cansado e era como eu vou dormir um pouco que seja. “

 A entrevista é significativo – TMZ divulgou uma matéria em 27 de julho de 2009 que “As autoridades acreditam que o Dr. Murray pode realmente ter caído no sono durante o tempo da droga [Propofol] foi administrado e pode ter despertado para encontrar Jackson já morreu de insuficiência cardíaca. “

 Agora a parte divertida. Bella disse aos policiais sobre o momento mágico quando se encontrou com Murray no Spearmint Rhino – “Ele chegou lá com seu uniforme e ele estava lá com como um cliente seu.” Bella, que diz que ela estava estudando para ser assistente de quiropraxia, diz: “Nós estávamos apenas compartilhando um pouco de conhecimento, você sabe, como médica e isto e aquilo e sei que ele ficou intrigado comigo.”

 Murray deve ter sido intensamente impressionado com seus conhecimentos médicos. Segundo a transcrição, Bella diz que ela “sentou-se com ele por cerca de cerca de uma hora e meia e ele me pagou US $ 1.000.”

Fonte: TMZ

Canção do Jackson 5 fará parte do “LEGO Rock Band”


Lego Rock Band

 

De acordo com o site VG247, Jonathan Smith, diretor de desenvolvimento da Traveller’s Tales, afirmou que “LEGO Rock Band” incluirá a canção “I Want You Back”, single de 1969 do Jackson 5, grupo do qual Michael Jackson fez parte.

Além dessa faixa, foram anunciadas também as canções “Breakout”, do Foo Fighters, e “A-Punk” do Vampire Weekend. No anúncio do game, no final de abril, já haviam sido divulgadas as músicas “Song 2″ (Blur), “Kung Fu Fighting” (Carl Douglas), “Final Countdown” (Europe), “Boys and Girls” (Good Charlotte) e “So What” (Pink).

O funcionamento de “LEGO Rock Band” é similar ao título tradicional, que usa controles em forma de instrumentos para jogar, incluindo guitarra, baixo, bateria e microfone. Controles de outras edições de “Rock Band” e de outros títulos musicais (como “Guitar Hero World Tour”) são compatíveis com o game.

Como anunciado anteriormente, “LEGO Rock Band” é voltado para a família e o público pré-adolescente, e, por isso, possui uma dificuldade mais fácil que o Easy. Pode-se imaginar algo como o modo No Fail de “Rock Band 2″, em que nenhum erro é penalizado.

“LEGO Rock Band” prevê versões para Xbox 360, PlayStation 3, Wii e Nintendo DS e está agendado para sair até o final do ano.

 

— Fonte: Techlider —


 

Diretor Sidney Lumet morre em Nova York


Indicado cinco vezes ao Oscar, cineasta de “Um Dia de Cão”, “Serpico” e “Rede de Intrigas” tinha 86 anos

Sidney Lumet em 2010, em Nova York

O diretor norte-americano Sidney Lumet morreu neste sábado (09), aos 86 anos, em sua casa em Nova York. Indicado cinco vezes ao Oscar, por clássicos do cinema como “12 Homens e Uma Sentença” (1957), “Um Dia de Cão” (1975) e “Rede de Intrigas” (1976), o cineasta sofria, segundo sua filha, de um linfoma.

Ao longo de sua carreira, Lumet dirigiu mais de 50 filmes e era um dos diretores mais prolíficos de sua geração. Filho de um ator, imigrante polonês, começou a trabalhar no circuito nova-iorquino de teatros e na sequência migrou para a televisão. Sua estreia em Hollywood, aos 33 anos, aconteceu com “12 Homens e Uma Sentença”, que se passa inteiramente numa sala de tribunal, na qual os jurados debatem exaustivamente se devem ou não inocentar o réu. O filme concorreu a três Oscars (filme, direção e roteiro adaptado), não ganhou nenhum, mas fez com que Lumet nunca mais saísse de trás das câmeras e mantivesse uma árdua rotina de trabalho.

Conhecido como um competente diretor de atores, trabalhou ao lado de grandes como Marlon Brando, Henry Fonda, Rod Steiger, Katherine Hepburn, Ingrid Bergman e Robert Duvall. Foi um dos primeiros a abordar a Segunda Guerra Mundial com “O Homem do Prego” (64). Seus roteiros e longas-metragens, inclusive, eram conhecidos por abordar as fronteiras da moral, a atuação da polícia e criminalidade, não raro se passando em Nova York – a cidade era uma de suas paixões, da mesma forma que para Woody Allen e Martin Scorsese.

Foto: DivulgaçãoAmpliar

Faye Dunaway em “Rede de Intrigas” (1976), vencedor de quatro Oscars

Lumet ajudou a cristalizar a carreira de Al Pacino com os policiais “Serpico” (73) e “Um Dia de Cão” (75). Entre eles, realizou talvez a mais famosa adaptação da obra de Agatha Christie, “Assassinato no Expresso Oriente” (74), com Albert Finney no papel de Hercule Poirot. Foi com “Rede de Intrigas” (76), no entanto, que se passa numa emissora de TV, numa ácida crítica à mídia, que o levou à consagração. O filme teve dez indicações ao Oscar, ganhou quatro (com prêmios de interpretação para Peter Finch, Faye Dunaway e Beatrice Straight), embora o diretor tenha saído de mãos vazias. Só foi recompensado pela Academia de Hollywood em 2005, com um Oscar honorário.


Entre os poucos pontos baixos de sua filmografia está “O Mágico Inesquecível” (78), musical baseado em “O Mágico de Oz”, com Diana Ross e Michael Jackson como o espantalho, um fracasso de crítica e bilheteria. Mas para cada decepção, havia quatro ou cinco sucessos, numa média impressionante de êxitos. Outros destaques de Lumet são “O Príncipe da Cidade” (81), “O Veredito” (82) e “O Peso de um Passado” (88).

No fim da carreira, cometeu alguns deslizes, como a refilmagem de “Gloria” (99), dirigido originalmente por John Cassavetes, com Sharon Stone no lugar de Gena Rowlands. Seus últimos trabalhos, contudo, realizados de forma quase independente, tiveram boas críticas – “Sob Suspeita” (2006), no qual Vin Diesel interpreta um mafioso, e o excelente “Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto” (2007), com Philip Seymour Hoffman, Ethan Hawke, Albert Finney e Marisa Tomei.

Indagado pelo jornal The New York Times da razão pela qual trabalhava com cinema, Lumet respondeu: “Faço isso porque gosto e é uma maneira maravilhosa de gastar sua vida”. Casado quatro vezes, o diretor deixa duas filhas e dois enteados.


Fonte: Ultimo Segundo


Defesa quer excluir de julgamento fotos da autópsia de Jackson


************************

 

Fotos chocantes da autópsia de Michael Jackson não devem ser exibidas ao júri no julgamento de homicídio culposo do médico do cantor, argumentaram advogados de defesa.

Mostrar as fotos da autópsia do cantor de “Thriller” coloca em risco o julgamento do médico Conrad Murray em maio, dizem eles. Murray é acusado de causar acidentalmente a morte de Jackson em junho de 2009 ao lhe administrar o poderoso anestésico propofol como indutor de sono, assim com outros sedativos.

“Estas fotos são explícitas, repugnantes e altamente prejudiciais”, escreveram os defensores de Murray nos autos do julgamento, divulgados na quinta-feira.

O médico do cantor Michael Jackson, Conrad Murray, chega a corte de Los Angeles em fevereiro passado

Eles argumentam que “a apresentação dessas fotos aos jurados irá ameaçar o direito do dr. Murray a um julgamento justo por causa do risco significativo de que o júri baseie sua decisão não na prova exibida, mas no componente emocional, que não deve fazer parte de uma ação criminal.”

Murray se declarou inocente de homicídio culposo. Os argumentos de abertura no julgamento estão marcados para 9 de maio. O juiz da Suprema Corte de Los Angeles Michael Pastor deve decidir até o fim do mês se acata o pedido da defesa.

Jackson, morto aos 50 anos, escolheu Murray como seu médico pessoal enquanto ensaiava para uma série de shows em Londres que marcariam seu retorno aos palcos.

Os advogados de Murray também querem que referências a idas de seu cliente a clubes de strip tease, onde conheceu pelo menos uma mulher com quem se envolveu, sejam excluídas das provas.

Ed Chernoff e Nareg Gourjian argumentam que “não há absolutamente nenhuma relevância em toda essa informação sexualmente escandalosa”.

A seleção do júri para o julgamento se desenrola há mais de duas semanas.

Um questionário de 29 páginas, divulgado publicamente na quinta-feira, indaga se os jurados em potencial são fãs de Jackson ou de sua família, se conhecem alguém viciado em remédios com receita médica, se acham que celebridades recebem tratamento diferenciado no sistema de justiça e se estão familiarizados com o anestésico propofol ou outros medicamentos.

Os advogados de Murray deram a entender em outras audiências que Jackson se tornou dependente de propofol, e planejam argumentar no julgamento que o cantor administrou a dose fatal em si mesmo.

Murray pode receber uma pena de quatro anos de prisão se for julgado culpado.

 

Fonte: “Folha”

Dr. Conrad Murray poderá ir a julgamento somente em 2012 !?


É pouco provável que o Dr. Conrad Murray enfrente um julgamento sobre a morte de Michael Jackson antes de dois anos, divulga o News of the World.
Grandes atrasos na preparação do processo contra Conrad Murray significa que ele provavelmente não vai a júri, até 2012.


Seu advogado Ed Chernoff está furioso “muitas páginas” dos documentos recolhidos pela polícia de Los Angeles não foram entregues à defesa, apesar de que Murray foi acusado em fevereiro de homicídio involuntário.

O processo pode ter problemas com a escolha de um júri. Chernoff teme que seu cliente não terá um julgamento justo em Los Angeles, onde o astro é considerado como um ícone.
“Encontrar as pessoas, sem uma visão de Jackson não vai ser fácil”, disse um perito legal.
Murray, 57, está próximo de sua audiência no tribunal em 14 de junho, mas seu advogado disse que vai adiar a audiência para setembro.

Ontem à noite o porta-voz de Murray disse: “Nós estamos pensando em marcar o julgamento para o começo de setembro, dia 02. Temos uma enorme carga – 3.500 páginas de provas para rever. E temos testemunhas para falar em todo o mundo que tiveram contato com Jackson nos últimos anos.

Para defender adequadamente Conrad precisamos de um tempo para obter todas as nossas provas juntas.”
O promotor disse que havia uma possibilidade do “bom” julgamento não começar por “um ou dois anos”.
Murray, cardiologista, acabou de ser dada permissão para continuar sua prática médica, mas sem usar anestesia, para ajudar a pagar as contas judiciais.

Ele está a ponderar sobre processar a AEG, que não lhe pagou £ 180,000 referente ao seu atendimento de seis semanas com o astro, antes de sua morte em junho passado.
Nós revelamos que os advogados de defesa de Murray vão tentar pôr em causa afirmando que Jackson tomou as drogas que o levaram ao ataque cardíaco.
Chernoff está alinhando aos médicos especialistas, na esperança de provar que Jacksonauto-administrava drogas,Murray mentiu sobre o seu consumo e exigiu níveis perigosos de medicamentos.


Fonte: News of the World